T U T O R A : )

carregando...

Employer branding: saiba o que é e como ele pode ser aplicado pelo RH

Trabalhar o branding de um negócio é essencial para que o público e o mercado reconheçam os produtos ou serviços facilmente. Além disso, ele ajuda você a se diferenciar da concorrência e a se conectar emocionalmente com as pessoas que são relevantes para sua empresa.

Agora, você deve estar pensando, o que é o Employer Branding? Tão importante quanto promover sua marca para o seu público e o mercado, é fazê-la se destacar entre os profissionais da sua área.

Para que você entenda qual é a relevância desta estratégia, mostraremos neste conteúdo o seu conceito, objetivo, vantagens e como o RH pode trabalhar para fazê-lo funcionar dentro do negócio! Continue a leitura e saiba mais!

O que é o Employer Branding?

Assim como pontuamos acima, o Employer Branding consiste em ações que buscam promover o negócio junto aos profissionais do mercado. A ideia é que com essa marca “empregadora” a empresa consiga atrair e reter talentos, sendo de fato um lugar no qual as pessoas desejam trabalhar.

Ele envolve todo o processo de gestão desta marca focada nos talentos, com o intuito não só de contar com uma base valiosa de colaboradores, como também para se destacar em relação à concorrência.

É importante frisar que esse trabalho de branding tanto com foco nos clientes quanto nos colaboradores, devem andar lado a lado, já que uma percepção positiva quanto a retenção de talentos conta pontos na análise que o cliente faz da sua empresa.

Uma dúvida que deve ser respondida quando se deseja trabalhar o Employer Branding dentro do negócio é: como aumentar a satisfação dos colaboradores dentro da empresa?

Isso já irá servir como um norte por onde o seu negócio pode começar.

O Employer Branding deve ser construído a quatro mãos

Quando se trata de colaboradores, automaticamente nosso pensamento se volta para o setor de RH, já que é ele quem de fato está na linha de frente para lidar com questões estratégicas e práticas relacionadas as pessoas da empresa.

Entretanto, se tratando desta estratégia, não só ele, como todos os outros setores do negócio devem atuar em conjunto para obter um projeto de sucesso.

Conforme é mencionado em um conteúdo da Rock ContentTenha em mente, também, que os resultados não vão aparecer de uma hora para outra. Employer Branding é um projeto de longo prazo. E, para que a implementação seja bem-sucedida, é preciso definir – e entender – os valores que sustentam aquele negócio.

Desta forma, o papel de outros setores, como marketing, por exemplo, é fundamental para a divulgação de estratégias eficientes na propagação desta marca empregadora tanto no ambiente online, como off-line.

Por fim, é interessante que pessoas chaves do negócio, juntamente ao time de RH, estruturem essa estratégia, já que opiniões e ideias diferentes podem tornar mais clara a definição de qual profissional é foco para o negócio, dentre os outros passos importantes para a elaboração deste projeto.

Qual é o objetivo dele?

Como o foco do Employer Branding é trabalhar a atração e retenção de profissionais, o objetivo que deve ser atingido com ele é de que, com o nível elevado de engajamento e envolvimento dos colaboradores, se consiga com mais eficácia atender as demandas e desejos de quem se interessa pelo produto ou serviço do negócio.

Vantagens que ele traz para o negócio?

Como toda boa estratégia, o Employer Branding apresenta algumas vantagens:

  • Otimização das equipes: com profissionais mais talentosos e atraídos para o negócio através da marca empregadora, se obtém equipes eficazes onde estes colaboradores podem trocar insights valiosos entre si e assim trazer mais otimização e assertividade para todas as atividades
  • Retenção de talentos: a marca empregadora colabora para entregar uma proposta de valor ao profissional. Assim, eles se manterão na empresa por mais tempo, agregando suas competências na execução das tarefas do dia a dia
  • Minimização de custos: negócios que não trabalham com o Employer Branding, muitas vezes acabam inflacionando salários e o alcance de processos seletivos. Com uma ele bem estruturado, a empresa não precisa adotar estas práticas, evitando esses gastos
  • Aumenta as vendas: por incrível que pareça, a marca empregadora consegue gerar um impacto até mesmo nas vendas. Isso porque, mesmo que determinados públicos não a vejam como local para trabalhar, podem ver no Employer Branding praticado, uma empresa para se fechar negócios, investir.
  • Redução de rotatividade: negócios que não tem foco em trabalhar ações e estratégias que valorizem seus colaboradores acabam por sofrer um alto turnover. Ao criar um ambiente agradável, onde os profissionais vão trabalhar felizes, essa taxa reduz consideravelmente
  • Aumenta a produtividade dos colaboradores: profissionais que sentem que fazem parte de algo maior e que conseguem nas práticas do dia a dia enxergar a missão, visão e valores da empresa, trabalha muito mais motivado, aumentando a produtividade.

Quais são os passos para o RH colocá-lo em prática?

Vamos listar abaixo alguns passos simples, mas que já podem ajudá-lo a estruturar o Employer Branding no seu negócio. De acordo com o site da Gupy, eles são:

  • Tenha claro o seu objetivo e desenhe uma estratégia
  • Analise o quadro atual
  • Preze pela boa comunicação
  • Identifique o perfil desejado
  • Estabeleça atrativos para atingir seu grupo alvo
  • Tenha o marketing digital como seu aliado
  • Defina sua Proposta de Valor ao Empregado (EVP)
  • Implemente uma cultura forte na empresa
  • Forneça um ambiente de trabalho agradável
  • Reconheça o colaborador e um serviço bem realizado
  • Planeje bem as ações.

Os passos que mencionamos acima, de certa forma, são as etapas que você pode seguir para aplicar essa estratégia dentro do setor de RH.

Entretanto, existem alguns outros pontos que é relevante pontuarmos, pois eles também podem facilitar a aplicação do Employer Branding por parte do seu time.

Antes de construir como a empresa quer ser vista junto aos profissionais do mercado, é essencial que ela investigue como ela está sendo vista neste momento por eles. Nesse sentido, você pode marcar uma reunião para interpretar dados como indicadores de satisfação, motivação, força da cultura organizacional, necessidades, interesses.

Além disso, nesta mesma reunião podem ser coletados feedbacks dos líderes, já que eles estão próximos e conseguem captar dos colaboradores as demandas e necessidades.

A idealização de uma marca empregadora pode facilmente fugir da realidade e se tornar uma estratégia impossível de ser colada em prática. Por isso, você e os demais envolvidos no projeto devem tentar aproximar o máximo possível o que foi idealizado do que é real, para que faça sentido ao negócio e aos profissionais.

E então?

Neste conteúdo você viu o que é o Employer Branding, seu objetivo, vantagens, passos para colocá-lo em prática, de quem é a responsabilidade por guiar a aplicação dessa estratégia e como o RH pode fazê-lo acontecer dentro do negócio!

Construir uma marca empregadora não é fácil, já que impactará não só a percepção de profissionais internos, como externos, mas também em como a empresa é vista por clientes, fornecedores, investidores e assim por diante.

Entretanto, cada dia mais, priorizar a qualidade de vida dentro do ambiente de trabalho só tem trazido inúmeros benefícios aos negócios. Benefícios estes que ressoam não só em entregas bem-feitas e em prazos enxutos, como também na rentabilidade.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, escreva nos comentários! Agora, se você quer ficar por dentro de mais conteúdos como este, clique abaixo e se inscreva gratuitamente para receber a nossa newsletter!

cadastro na newsletter

Artigos relacionados

Posts recentes

7 dicas para organizar os estudos e se sair bem na faculdade!
Você sabe como a mentoria da Tutora pode te ajudar no processo de recolocação profissional
É possível encontrar um novo trabalho com cargo compatível à experiência na área?